Marcus Hemerly
Sobre a terra, antes da escrita e da imprensa, existiu a poesia - Neruda
Textos
Saudade paulistana

O viajante, errante e solitário,
De tanto aperto no coração,
Deixou-o num jazigo imaginário,
Lá no cemitério da Consolação.

De tanto amor pela metrópole,
Sepulta-se voluntário na necrópole,
Vertendo lágrimas de uma só vez,
Lembrando saudoso do bairro japonês.

Frio, chuva, calor; quem diria!
Tudo isso bem no mesmo dia,
Passeando pelas ruas da cidade,
Por uma urbe, quanta saudade!

Indo de volta para o Aquidaban,
​​​​​​Só relembra do altivo Copan,
Donde gotejava a famosa garoa,
Como lágrima antecipada, à toa.

Infla o peito fenecido do poeta,
Que uma lembrança corrói e lanceta,
Como projeção distante de uma era,
Quando foi feliz no belo Ibirapuera.
Marcus Hemerly
Enviado por Marcus Hemerly em 05/01/2020
Alterado em 27/03/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras