Marcus Hemerly
Sobre a terra, antes da escrita e da imprensa, existiu a poesia - Neruda
Textos
Barco no Iodo
 
O suave navegar que me alimenta,
Assemelha-se a uma caravela alquebrada,
Singra a água, açoitada pela tormenta,
Artificial, pelo vento lestamente instigada.
 
Não há personagens à costa aguardando,
Tão pouco, lenços à brisa em saudação balouçando,
Amargo fel que já conhecido irrompe à garganta,
Na segurança da dor, aos poucos, embala e encanta.
 
Somente nas memórias se espalha a imagem,
Irrompe serena, mas traiçoeira, incontida,
Mascara a dor qual mal sarada ferida.
 
Deixei no porto um amor e uma face,
Face que beijei, amor sem desenlace,
Marujo amador, cujas lágrimas refogem.
Marcus Hemerly
Enviado por Marcus Hemerly em 14/02/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras